Absorção Acústica

Projetar ambientes confortáveis acusticamente é essencial para conseguirmos recintos de qualidade.

 

 

O acondicionamento ou absorção acústica consiste em tratar a difusão do som dentro de um local, atuando sobre o nível de absorção ou reflexão das paredes

 

 

Porquê acondicionar um recinto?

 

1.png

Conforto acústico,
qualidade do recinto

 

2.png

Melhorar a comunicação, compreensão e funcionalidade do local

3.png

Reduzir riscos
laborais

4.png

Melhorar a
produtividade

 

 

 

A funcionalidade do espaço

Cada espaço ou recinto, em função do uso a que for destinado, terá umas necessidades acústicas diferentes. É importante identificar as referidas necessidades no momento de conceber um recinto e definir os sistemas construtivos mais adequados.

 

5.png

Inteligibilidade

Quero que me entendam

6.png

Confidencialidade

Não quero ser escutado por outras pessoas

7.png

Concentração

Não quero ser incomodado

 

Do ponto de vista prático, devemos planificar o acondicionamento acústico de um recinto de modo a que se adapte de maneira ótima à futura utilização do mesmo. Neste sentido, por exemplo, o acondicionamento acústico de uma biblioteca ou de uma sala de aula, deverá basear-se em critérios técnicos claramente diferenciados dos de uma sala de concertos, dadas as suas diferentes funcionalidades e exigências, o que implicará a adoção de soluções específicas para cada uma das situações.

A Pladur® oferece soluções tanto para o isolamento como para o acondicionamento acústico. A gama de tetos Pladur ® FON+ dispõe de mais de 100 modelos diferentes de tetos contínuos e falsos, satisfazendo as mais altas exigências tanto do ponto de vista do acondicionamento acústico como do design e da estética.

 

A absorção sonora

Do ponto de vista arquitetónico, os aspetos chave no acondicionamento acústico são a geometria do recinto e a absorção dos elementos construtivos que o compõem.

O mecanismo de absorção acústica baseia-se na dissipação da energia sonora que incide sobre um material absorvente através de diversos mecanismos físicos. As prestações absorventes dos materiais quantificam-se mediante o denominado coeficiente de absorção α, que se define como a relação entre a energia absorvida pelo material e a energia incidente sobre o mesmo.

Este coeficiente está compreendido entre 0 (material totalmente reflector) e 1 (absorção total), o valor de α está directamente relacionado com as propriedades físicas do material e varia com a frequência.

 

 

absorçao sonora.png

Fronteira de Separação.png

 

absorcao-acoustica.jpg

 

 

O coeficiente de absorção sonora

O coeficiente de absorção sonora depende da frequência, tal como se pode verificar no gráfico. Para um dado sistema, a cada frequência corresponderá um determinado valor do coeficiente de absorção ap. Para simplificar o tratamento da informação, recorrem-se a diversos procedimentos normalizados que permitem sintetizar a informação frequencial num único valor. Os procedimentos normalizados mais utilizados para a obtenção deste valor global são o índice aw e o índice NRC.

O coeficiente de absorção sonora ponderado αw: é o índice normalizado estabelecido pela norma ISO 11654 para expressar de uma forma global a absorção sonora de um material a partir dos seus valores de frequência. αw corresponderá ao valor a 500 Hz da maior curva normalizada entre 250 e 4000 Hz cujo somatório das diferenças entre a curva de absorção do material e a própria curva referência seja menor de 0,1.

Este coeficiente pode mostrar o indicador de forma (L=Low, M=Medium, H=High) se os coeficientes de absorção acústica práticos excederem os da curva de referência deslocada por volta de 0,25 ou mais nos seus diferentes espectros de frequência.

O índice NRC (Noise Reduction Coefficient): é o contemplado na norma americana ASTM C423. Obtém-se mediante o coeficiente de absorção sonora correspondente às bandas de oitava de 250, 500, 1000, 2000 y 4000 Hz.

O coeficiente de absorção média am: é uma escala cujo valor se obtém calculando a média dos valores dos coeficientes de absorção sonora prático às bandas de oitava de 500, 1000 e 2000.

A norma atual portuguesa Regulamento dos Requisitos Acústicos dos Edifícios (R.R.A.E.) define a utilização do Coeficiente de absorção média. No presente documento, utilizou-se para este coeficiente a nomenclatura am .

A absorção acústica mantém uma relação direta com o tempo de reverberação.

O tempo de reverberação (Tr ou simplesmente T) corresponde ao intervalo de tempo necessário para se verificar uma quebra do nível sonoro de 60 dB, após a paragem instantânea da fonte sonora.

Para se conseguir, num determinado recinto, um acondicionamento acústico adequado, é imprescindível ter em conta as características das frequências do som. Por exemplo, de maneira intuitiva podemos identificar um som grave como aquele em que as baixas frequências são preponderantes, enquanto que num som agudo as frequências são altas. Um acondicionamento acústico adequado permitirá conseguir um ambiente sonoro confortável caraterizado por um ruído ambiente equilibrado tanto no que se refere ao seu nível como à sua distribuição frequencial.

 

infrasons.png

 

Existem no mercado inumeráveis produtos e sistemas construtivos destinados a melhorar o acondicionamento acústico dos recintos, cada um deles com diferentes prestações e aplicações, deste modo pode-se dizer que, em geral, os materiais absorventes porosos e fibrosos terão uma boa absorção em altas frequências, enquanto que os sistemas baseados em ressonadores terão uma grande absorção a baixa frequência e numa categoria frequencial pequena. Os sistemas Pladur® FON+ reúnem as caraterísticas de ambas as tipologias, conseguindo excelentes prestações fonoabsorventes.

 

Picture6.png